A Reconquista

01-10-2011 21:48


 
 a reconquista-.ppt (2,7 MB)
-A-Reconquista-Crista.pptx (344,2 kB)

  O movimento da Reconquista da Península pelos Cristãos foi organizado a partir das montanhas das Astúrias, a norte. Aí se haviam refugiado os últimos cavaleiros visigodos que, pouco a pouco, foram alargando o seu pequeno reino, em direcção a sul. A reconquista durou cerca de oito séculos, durante os quais se formaram os reinos de Leão e Castela, Navarra, Aragão e Portugal.
   Em 1086, Afonso VI, rei de leão e Castela, conquistou aos mouros a importante cidade de Toledo. Aflitos, estes procuraram o auxilio seus aliados do Norte de África, os Almorávidas .
   Pouco tempo depois, um poderoso exército muçulmano vence Afonso VI, em Zalaca. É então a sua vez de apelar para a ajuda da Europa cristã. Em seu socorro vêm muitos cavaleiros - entre eles um nobre francês, Henrique de Borgonha. Em troca da sua valentia, o rei concede-lhe a mão de sua filha, D. Teresa, e uma terra para governar - o Condado Portucalense.


   A  terra concedida a D. Henrique correspondia sensivelmente ao Norte de Portugal, até Coimbra, onde então se situava a fronteira entre o Norte cristão e o Sul muçulmano.


   Foi o filho de D. Henrique e de D. Teresa, Afonso Henriques, que fundou o reino de Portugal. Para isso teve  que quebrar a vassalagem que devia ao rei de Leão e Castela, seu senhor. Em 1179, o Papa Alexandre III reconheceu, através de um documento escrito _ a Bula Manifestis Probatum - , o reino de Portugal.

   Entretanto, D. Afonso Henriques foi travando importantes batalhas contra os muçulmanos, a fim de alargar os seus territórios para Sul. Os seus sucessores continuaram esta luta, conquistando definitivamente o Alentejo e o Algarve (século XIII). Portugal, como é hoje, existe, pois, há cerca de 700 anos. 

Cristãos e Muçulmanos no período da Reconquista Cristã

 

1. A resistência cristã

Durante a ocupação muçulmana alguns nobres visigodos conseguiram refugiar-se nas Astúrias (zona montanhosa no norte da Península ibérica). Foi a partir deste local que os cristãos formaram núcleos de resistência contra os Muçulmanos e no ano de 722 obtiveram a sua primeira grande vitória na batalha de Covadonga, chefiados por Pelágio. Depois deste acontecimento formou-se o reino das Astúrias.

 

2. A Reconquista Cristã

Foi então a partir das Astúrias e junto dos Pirinéus que se iniciou a Reconquista Cristã, ou seja, os cristãos começaram a lutar contra os Muçulmanos para voltar a conquistar as terras que perderam para os Muçulmanos.

Com o passar do tempo o reino das Astúrias deu lugar a outros reinos cristãos:

  • reino de Leão;

  • reino de Castela;

  • reino de Navarra;

  • reino de Aragão.

Cada reino tinha como objectivo conquistar terras a sul aos Muçulmanos de forma a expulsá-los da Península Ibérica.

Foram precisos quase 800 anos para o conseguirem. Entretanto também houve períodos de paz e confraternização. Cristãos e Muçulmanos foram-se habituando a aceitar costumes e tradições diferentes dos seus.

 

 

S_ntese Ac__o dos Primeiros Reis.pdf (291,3 kB)

A Reconquista Cristã e a formação de Portugal aqui

Clique em "História de Portugal". As origens de Portugal (os Celtas, os Iberos, Romanos , Muçulmanos... . Belíssimas imagens, com mapas, fotografias de artefactos, etc..  Veja também a "Reconquista Cristã", "Alargando o Território", "Povoamento e Cultivo", etc..

 

" + __flash__argumentsToXML(arguments,0) + ""));}" codebase="http://fpdownload.macromedia.com/pub/shockwave/cabs/flash/swflash.cab#version=9,0,28,0" height="370" id="onlinePlayer" loadmarkercomment="function () {return eval(instance.CallFunction("" + __flash__argumentsToXML(arguments,0) + ""));}" width="425">

 

À época da Reconquista cristã da península Ibérica, quando esta região foi ocupada por forças portuguesas, Almourol foi conquistado em 1129 por D. Afonso Henriques (1112-1185). O soberano entregou-o aos cavaleiros da Ordem dos Templários, então encarregados do povoamento do território entre o rio Mondego e o Tejo, e da defesa da então capital de Portugal, Coimbra.Embora os autores não sejam unânimes acerca da primitiva ocupação humana deste sítio, acreditando-se que remonte um castro pré-histórico, a pesquisa arqueológica trouxe à luz testemunhos do período romano (moedas do século I a.C.) e do período medieval (medalhas). Alguns autores, ainda, identificam em alguns trechos na base das muralhas, exemplos do aparelho construtivo de tipo romano (ver Décimo Júnio Bruto Galaico).